Dedico este sítio aos meus familiares e a todos aqueles que nascidos angolanos ainda assim se sintam, não obstante o inexorável caminhar dos anos e as distâncias, todas elas, que os separam da sua terra e das recordações que dela guardam, em especial à minha tia Celeste, amiga como só ela,  pelo livro, sempre adiado, que guardo como dívida...

Agradeço a quantos o enriqueceram de alguma forma com o seu contributo e, aos autores das imagens que estejam aqui inseridas sem referência ao seu nome, desde já as minhas desculpas pela omissão.

Para colaborar, ajudando quem ajuda...

     

 

 

Visitante nº